Como vai, Forasteiro?!

Parece que você é novo por este pedaço. Se você quer se envolver, clique em algum destes botões!

Usuários nesta discussão

Sobre a manifestação em SP por conta do aumento das passagens

JudasJudas Membro
Queria a opinião de vocês. Estou vendo esquerdistas conhecidos do meu FB "comemorando" a manifestação e metendo a ripa na polícia, no mínimo tem merda nessa história...
«13456

Comentários

  • 129 Comentários sorted by Votes Date Added
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrador, Moderador
    Vejam a foto abaixo:

    287548-970x600-1.jpeg

    Na transmissão ao vivo da Globonews deu para ver que os manifestantes se jogaram no chão quando a PM chegou, para dar a impressão de violência. Quem foi que jogou a lixeira verde ali? A PM?

    Claro que tinha que ter o MST envolvido:

    287613-970x600-1.jpeg

    Sim, houve violência e excessos. Era de se esperar. Só não vi o tal do "povo" protestando, só estudantes com o apoio da UNE, PSOL, MST e o lixo de sempre.
  • No fundo é o de sempre , política , interessas , nada de realmente positivo .
    Seria justa uma grande manifestação contra a corrupção, até eu participaria.
    O instinto de conservação tem que ser muito forte !
    A morte é o final de todas as angústias da vida e de alguns momentos de felicidade .
    A nossa realidade é moldada pelo que acreditamos ou preferimos não acreditar.
    Pronto eu agora sou Ateu , não preciso espalhar pra minha família e só .

    Click aqui :
    http://31.media.tumblr.com/tumblr_m4pmpbh3H11qlvp0oo1_250.gif
  • emmcri disse: No fundo é o de sempre , política , interessas , nada de realmente positivo .
    Seria justa uma grande manifestação contra a corrupção, até eu participaria.

    É o que eu acho.
  • AcauanAcauan Administrador, Moderador
    Tem alguma coisa de estranha nesta mobilização.

    Assisti à entrevista do líder do tal Movimento Passe Livre que me pareceu um Bananão, longe léguas da imagem do arregimentador de massas.
    O cara veio com a conversa de sempre, que a manifestação era organizada e pacífica até o ataque da PM, quando então e por conta de começaram as depredações.

    Não explicou, dentre outras coisas, porque gente que não tinha intenção de depredar nada saiu de casa para o protesto com latas de spray...

    Mas é possível que seja verdade que o Movimento Passe Livre perdeu o controle da turba, que se apropriou do protesto para brincar de fazer Revolução.

    Por outro lado, e sempre o há, o transporte público e o trânsito de São Paulo são uma porcaria. Um dos principais fatores de deterioração da qualidade de vida por aqui.
    Nisto o Bananão do MPL (é..., a sigla coincide com aquela outra...) tá certo.
    Sem transporte de qualidade a população tem seus demais direitos restritos, principalmente a da periferia, que fica longe prá cacete de tudo.

    Não uso transporte público cotidianamente desde o colegial e agradeço a Monã por isto.
    O usuário tem que se submeter a uma tarifa cara para dispor de um serviço precário que o força à humilhação diária de ter que disputar a vaga na condução para o trabalho ou outro compromisso.

    Não dá prá levar a sério a proposta da gratuidade, mas já passou da hora de o usuário de transporte público ser tratado como simplesmente é: cliente pagante.

    Acauan dos Tupis
    Nós, Indios.
    Lutar com Bravura, morrer com Honra!
  • CameronCameron Membro
    edited junho 2013 Vote Up0Vote Down
    Nem sei o que pensar disso tudo, não aprovo vandalismo de jeito nenhum mas também não gosto nem um pouco da ideia de um povo que aceita calado todos os abusos que lhe são impostos, e esse das tarifas altas por serviços de transporte de péssima qualidade é só um fragmento da ponta do iceberg...
    Post edited by Cameron on
    Come with me if you wanna live.
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrador, Moderador
    Esses caras deveriam protestar contra o governo em si, contra a corrupção, contra a falta de fiscalização, mas eles preferem atacar as consequências no final da cadeia de causa e efeito.
  • CameronCameron Membro
    edited junho 2013 Vote Up0Vote Down
    O problema dessas manifestações genéricas é como elas gerariam o efeito desejado, será que um político corrupto vai deixar de sê-lo só porque algumas pessoas foram para as ruas manifestar seu desagrado contra a corrupção de uma forma geral?

    A primeira coisa que um movimento ou protesto tem que ter caso tenha uma mínima pretensão de resultado é um objetivo específico e bem claro, se esse protesto tem algum mérito é esse.
    Post edited by Cameron on
    Come with me if you wanna live.
  • No caso específico de um quadrilheiro, bandido, ladrão desgraçado, julgado e condenado pelo STF, assumindo uma comissão de justiça deveria ter tido uma reação da população bem mais drástica e contundente do que houve.

    O episódio só serviu como carta branca para o governo do PT, a população deixou uma mensagem bem clara: Podem roubar a vontade.
    Come with me if you wanna live.
  • Fernando_Silva disse: Esses caras deveriam protestar contra o governo em si, contra a corrupção, contra a falta de fiscalização, mas eles preferem atacar as consequências no final da cadeia de causa e efeito.

    Pois é.

    Esses movimentos nunca se animam a incendiar a prefeitura, por exemplo.
  • Fernando_Silva disse: Só não vi o tal do "povo" protestando, só estudantes com

    Desde quando o povo protesta alguma coisa. Desde o militarismo, só vi estudante e "UNEs" fazendo protestos e arruaças, regados à muita cachaça e maconha. pelotão de fuzilamento para esta cambada de vagabundos.
    E tem gente que acedita que este país irá mudar...Pobres coitados.
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrador, Moderador
    No Rio, pelo menos, o prefeito os convidou para apresentarem suas reivindicações. Eles o ignoraram. Preferiram o confronto pelo confronto.
  • Movimento Passe Livre
    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
    Ir para: navegação, pesquisa

    O Movimento Passe Livre (MPL) é um movimento social brasileiro que defende a adoção da tarifa zero para transporte coletivo. O movimento fundado em uma plenária no Fórum Social Mundial em 2005, em Porto Alegre1 e ganhou destaque ao participar da organização dos protestos em São Paulo em 2013.


    Propostas

    A principal bandeira do movimento é a migração do sistema de transporte privado para um sistema público, fato que garantiria o acesso universal através do passe livre. Para o movimento, isto traria um sistema de transporte sem exclusão social. As ações do MPL passam por trabalhos de divulgação, estudos e análises dos sistemas de transporte locais, levando essas informações para diversos grupos dentro das cidades. Outra característica são as manifestações de ação direta, intervenções lúdicas e leis de iniciativa popular. O MPL utiliza-se dessas maneiras a fim de pressionar o poder público, acreditando ser a melhor maneira de fazer política.

    O movimento organiza-se através de princípios básicos, aprovados em uma plenária pelo passe livre no V Fórum Social Mundial, dentro do Espaço Caracol Intergalactika. A partir de então, se constitui oficialmente o Movimento Passe Livre. Seus princípios na época eram independência, apartidarismo, horizontalidade e decisões por consenso. Durante o 3º Encontro Nacional do Movimento Passe Livre (ENMPL), em julho de 2006, adicionou-se o federalismo como princípio. Tais princípios só podem ser modificados pelo método do consenso.
    Histórico

    A revolta popular que originou o Movimento Passe Livre aconteceu em Salvador, capital da Bahia. Em 2003, milhares de jovens, estudantes, trabalhadores e trabalhadoras fecharam as vias públicas, protestando contra o aumento da tarifa. Durante 10 dias, a cidade ficou paralisada. O evento foi tão significativo que se tornou um documentário, chamado “A Revolta do Buzu”, de Carlos Pronzato. As mobilizações tiveram fim quando entidades estudantis tradicionais (como a UNE e a UJS) se colocaram como liderança da revolta que não havia iniciado e foram negociar com a Prefeitura em sala fechada. Esses grupos apresentaram 10 pautas, das quais 9 foram alcançadas entre elas a meia-passagem para estudantes de pós-graduação e o direito do uso da meia passagem estudantil nos finais de semana, feriados e férias. A principal reinvidincação das manifestações de rua não foi atendida: o aumento continuou em vigor. Após a negociação, porém, a população foi desmobilizada e as ações de rua perderam a força.2 3

    Em 2004, um grupo em Florianópolis, inspirados pela experiência de Salvador, já se articulava numa proposta diferente das organizações estudantis tradicionais. Ao longo de uma semana de intensas mobilizações, a cidade parou na famosa "Revolta da Catraca" ou "Amanhã vai ser maior". A reivindicação era, mais uma vez, a redução das tarifas de ônibus, e havia a participação de outros grupos como associações de moradores, professores, punks e a população em geral. Os protestos foram bem-sucedidos e naquele ano o aumento foi revogado. Em 2005, um novo aumento foi anunciado, porém, após um mês de manifestações, a prefeitura anunciou seu cancelamento.

    Durante os anos seguintes, manifestações contra aumentos de tarifa e contra o atual sitemas de transporte ocorreram em diversas regiões brasileiras, como em São Paulo, Itu, Belo Horizonte, Curitiba, Cuiabá, Porto alegre, Rio de Janeiro, Brasília, Joinville, Blumenau, Fortaleza, Recife, Aracaju, Rio Branco, entre outras. Em 2006, a tarifa de ônibus diminuiu após mobilizações populares em Vitória.

    No início de 2011, aumentos nos preços das passagens do transporte coletivo provocaram imensas manifestações em todo o Brasil, principalmente em São Paulo, onde a luta contra o aumento reuniu semanalmente, durante 3 meses, cerca de 2 mil estudantes nas ruas do Centro. O período também é marcado por conquistas na região Norte: em Belém, a população organizada conseguiu reverter um aumento e, em Porto Velho, o aumento foi suspenso durante duas semanas.
    Princípios
    Horizontalidade

    Todas as pessoas envolvidas no MPL devem possuir o mesmo poder de decisão, o mesmo direito à voz e a liderança nata. Pode-se dizer que um movimento horizontal é um movimento onde todos/as são líderes, ou onde os/as mesmos/as não existem. Desta forma, todos/as tem os mesmos direitos e deveres, não há cargos instituídos, todos/as devem ter o acesso a todas as informações. As responsabilidades por tarefas específicas devem ser rotatórias, para que os membros do grupo possam aprender diversas funções.
    Autonomia

    A autonomia é a não-dependência de organizações, partidos políticos e outras entidades. Significa aplicar a auto-gestão.
    Independência

    A independência é uma das conseqüências da autonomia. Os coletivos do MPL são independentes entre si, em suas ações locais, desde que respeitem os princípios organizativos. O MPL depende apenas das pessoas que o constituem, tanto em suas atividades quanto financeiramente.
    Apartidarismo

    Os partidos políticos oficiais e não-oficiais, enquanto organização, não participam do Movimento Passe Livre. Entretanto, pessoas de partidos, enquanto indivíduos, podem participar desde que aceitem os princípios e objetivos do MPL, sem utilizá-lo como projeção política. O MPL não deve apoiar candidatos a cargos eletivos, mesmo que o candidato em questão participe do movimento.
    Federalismo

    O MPL é um movimento nacional que se organiza através de um Pacto Federativo, que consiste na adoção dos princípios de independência, apartidarismo, horizontalidade, decisões por consenso e federalismo. Isso confere autonomia a cada coletivo local, desde que estes respeitem os princípios do Movimento Nacional. Os coletivos devem ainda estabelecer uma rede de contatos inter-coletivos, tentando ao máximo se aproximar uns dos outros, tornando real o apoio múltuo entre coletivos, o que garantirá organicidade ao Pacto Federativo do MPL.
    Organização do MPL

    A articulação nacional do movimento é feita através de GTNs (Grupos de Trabalho Nacional), onde o movimento organiza ações conjuntas, impressos nacionais (como o jornal nacional do movimento) e o Encontro Nacional do Movimento Passe Livre (ENMPL). No último ENMPL, foi decidido como indicativo a criação de GTs de comunicação, organização e apoio jurídico.
    Dia nacional do passe livre

    Vinte e seis de outubro (26/10) é considerado O Dia Nacional de Luta pelo Passe Livre. Sua primeira "edição" ocorreu em 2005, onde uma catraca em chamas simbolizava a união das manifestações, ocorridas em 14 cidades. A data foi escolhida pois foi o dia em que o projeto de lei de iniciativa popular (com cerca de 20 mil assinaturas) foi votado na Câmara de Vereadores de Florianópolis. O projeto foi aprovado em 4 de novembro.
  • Judas disse: Estou vendo esquerdistas conhecidos do meu FB "comemorando" a manifestação e metendo a ripa na polícia, no mínimo tem merda nessa história...

    Eu também acho, aliás por que cargas dágua um movimento que se diz pacífico deu trabalho pra polícia como deu? Por que motivos a força policial iria agredir essa gente? Sei que a polícia é uma merda, mas não chegamos a este patamar que desenham.

    A procura da Verdade

    A verdade é a mentira nua/ somente se você perceber/ Aparecendo nos olhos de ninguém/ até que esterilizar/ Pare a guerrilha/ guerra para mantê-lo justo / Bro, mude a sua raiva para uma causa maior e inteligente / Você sabe que a aposta é alta e o estrelato está próximo / Aqueles que simpatizavam com você morrerão com o tempo / Não desperdice seu tempo em odiar as pessoas / Use o seu poder para fazer justiça a todos eles / Agora eu encaro / Eu seguro/ Alcanço a verdade da minha vida procurando aproveitar / Oh , deixe-me sair / Você pode me deixar sair / Você pode me libertar deste mundo de trevas interiores / Salve-me agora última batida da minha alma.
  • Johnny disse: Desde quando o povo protesta alguma coisa. Desde o militarismo, só vi estudante e "UNEs" fazendo protestos e arruaças, regados à muita cachaça e maconha. pelotão de fuzilamento para esta cambada de vagabundos.

    Diretas Já.
    "Um homem é rico na proporção do número de coisas de que ele é capaz de abrir mão." Thoreau
  • Fernando_Silva disse: No Rio, pelo menos, o prefeito os convidou para apresentarem suas reivindicações. Eles o ignoraram. Preferiram o confronto pelo confronto.

    O papo deles no telejornal era outro.



    A procura da Verdade

    A verdade é a mentira nua/ somente se você perceber/ Aparecendo nos olhos de ninguém/ até que esterilizar/ Pare a guerrilha/ guerra para mantê-lo justo / Bro, mude a sua raiva para uma causa maior e inteligente / Você sabe que a aposta é alta e o estrelato está próximo / Aqueles que simpatizavam com você morrerão com o tempo / Não desperdice seu tempo em odiar as pessoas / Use o seu poder para fazer justiça a todos eles / Agora eu encaro / Eu seguro/ Alcanço a verdade da minha vida procurando aproveitar / Oh , deixe-me sair / Você pode me deixar sair / Você pode me libertar deste mundo de trevas interiores / Salve-me agora última batida da minha alma.
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrador, Moderador
    edited junho 2013 Vote Up0Vote Down
    Judas disse:
    A principal bandeira do movimento é a migração do sistema de transporte privado para um sistema público, fato que garantiria o acesso universal através do passe livre.
    Esta é uma ideia idiota. Nada é de graça. Todos vão ter que pagar através dos impostos, mesmo que não usem ônibus, mesmo que morem num vilarejo distante.

    Já tivemos transportes públicos aqui no Rio. Quando foram privatizados, estavam caindo aos pedaços: ônibus velhos, trens velhos, serviço péssimo.
    Judas disse: O movimento organiza-se através de princípios básicos, aprovados em uma plenária pelo passe livre no V Fórum Social Mundial,
    E o que poderia sair de bom desse fórum?


    Post edited by Fernando_Silva on
  • syboksybok Membro
    edited junho 2013 Vote Up0Vote Down
    Cameron disse: Nem sei o que pensar disso tudo, não aprovo vandalismo de jeito nenhum mas também não gosto nem um pouco da ideia de um povo que aceita calado todos os abusos que lhe são impostos, e esse das tarifas altas por serviços de transporte de péssima qualidade é só um fragmento da ponta do iceberg...

    O problema em grande parte é que o preço da tarifa é resultado das intervenções do governo e reclamar de "aumento" de preços, é como reclamar da chuva.
    Veja que o metrô, desde que me entendo por gente, sempre foi mais caro que o ônibus, isso mudou "milagrosamente" depois do tal "bilhete único", que apenas transfere os custos para quem usa menos.
    O metrô a mesma coisa, até hoje o preço de atravessar a cidade inteira ou ir de uma estação a outra, é o mesmo.

    Se o mercado de transporte fosse mais livre talvez as coisas fossem melhores, mas isso também é complicado, lembro da época das lotações que ficavam sempre se mantendo a frente dos ônibus legalizados.
    Post edited by sybok on
    "O universo não pode ter surgido do nada porque o nada nunca existiu e o nada não pode criar nada"- Erivelton
  • Judas disse: A principal bandeira do movimento é a migração do sistema de transporte privado para um sistema público, fato que garantiria o acesso universal através do passe livre. Para o movimento, isto traria um sistema de transporte sem exclusão social.

    Pois é, isso já mostra que são na origem uns imbecis.
    Um grupo de idiotas se manifestando para exigir idiotices, numa manifestação com a participação de grupos como PSOL, MST, UNE e toda essa corja, e que termina em vandalismo, como mencionado com gente já indo a tal manifestação não só com latas de spray, mas também com stencils já preparados.
    "O universo não pode ter surgido do nada porque o nada nunca existiu e o nada não pode criar nada"- Erivelton
  • http://www.avaaz.org/en/petition/Em_poucos_dias_quem_se_manifestar_podera_ser_preso_como_terrorista/?fTTCLab&pv=8

    O crime de terrorismo pode ser definido em lei até agosto - pela PL 728/2011

    Segundo o presidente da comissão de leis e dispositivos constitucionais, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), a intenção da comissão é votar o texto dentro de duas semanas e enviá-lo para a tramitação nos Plenários da Câmara e do Senado.

    Uma das principais questões que geraram discordância entre os parlamentares foi a diferenciação entre movimentos reivindicatórios e atos de terrorismo. A definição, que estava no texto inicial, foi modificada por Jucá, o que, na opinião de Miro Teixeira, tirou a clareza do texto.
    - É preciso deixar bem expresso que há uma diferença entre danos provocados por movimentos reivindicatórios e danos provocados por movimentos terroristas – afirmou."

    Documentos revelados pelo WikiLeaks revelaram a pressão americana para que o Brasil criasse uma lei para o “terrorismo”, principalmente para assegurar os megaeventos, segundo o relatório de Lisa Kubiske, conselheira da Embaixada americana em Brasília, enviado para os EUA em 24 de dezembro de 2010.

    Agora, com a Copa das Confederações, a Copa do Mundo e com as Olimpíadas 2016, os movimentos sociais em busca de melhorias no transporte, na segurança, por melhores condições de trabalho, podem ser criminalizados como terroristas, e presos por até 30 anos, como um crime de homicídio por exemplo!

    Não concorde nem permita que isso aconteça!
    [nota 1: o texto foi adaptado em meio aos acontecimentos de hoje, 13/06/2013. todas as sugestões para melhorá-lo serão bem-vindas! compartilhar no face, twitter, gtalk, tumblr, pinterest e blogs também! entrar em contato com os representantes da Câmara e do Senado e twittar ou lotar os emails tambem!]
    [nota 2: fonte da foto: http://estiloparagrafus.blogspot.com.br/2010/01/toda-sexta-feira.html
    - a foto foi publicada, ao que parece, em um protesto de 2010 - da Agência Estado [obrigado por avisar, feridosnoprotestosp.tumblr.com] - e ainda existem manifestantes que levam spray de pimenta até hoje!]

    [mais fontes: http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2013/06/13/projeto-que-define-crime-de-terrorismo-pode-ser-votado-ate-agosto-pelo-congresso
    http://www.apublicaco.org/2012/02/pl-quer-punir-terroristas-grevistas-na-copa/#sthash.Kj59j6m3.dpuf

    Projeto de Lei na íntegra:
    http://www.senado.gov.br/atividade/materia/getPDF.asp?t=100856&tp=1]
    O instinto de conservação tem que ser muito forte !
    A morte é o final de todas as angústias da vida e de alguns momentos de felicidade .
    A nossa realidade é moldada pelo que acreditamos ou preferimos não acreditar.
    Pronto eu agora sou Ateu , não preciso espalhar pra minha família e só .

    Click aqui :
    http://31.media.tumblr.com/tumblr_m4pmpbh3H11qlvp0oo1_250.gif
  • O instinto de conservação tem que ser muito forte !
    A morte é o final de todas as angústias da vida e de alguns momentos de felicidade .
    A nossa realidade é moldada pelo que acreditamos ou preferimos não acreditar.
    Pronto eu agora sou Ateu , não preciso espalhar pra minha família e só .

    Click aqui :
    http://31.media.tumblr.com/tumblr_m4pmpbh3H11qlvp0oo1_250.gif
  • O Reinaldo tratou do tema.
    Só fiquei decepcionado em descobrir que o Acauan agora virou colaborador desse movimento... hehehe.

    ==============================================================================
    Tarifa zero: descoberto o emplastro que vai livrar o Brasil da melancolia
    ==============================================================================

    Ai, ai… Na madrugada, volto ao tema. Manifestações em defesa dos protestos no Rio, em São Paulo e em toda parte estão sendo marcadas, por intermédio do Facebook, em várias cidades do mundo. Devem acontecer mesmo, não é?, e merecer ampla cobertura da imprensa brasileira. Afinal de contas, seis pessoas resolveram erguer cartazes analfabetos em Paris e ganharam o alto de página em alguns jornais. Ademais, sabem como é… Quando os brasucas estão em terras estranhas, qualquer pretexto vale uma festa — nem que seja comer feijão preto e tomar caipirinha. Se for, então, para se posicionar em favor do bem, do belo e do justo, aí é mel na sopa.

    Vejam trecho do que publica a Folha . Volto em seguida.

    Em apoio aos protestos em São Paulo, Rio de Janeiro e em outras cidades, brasileiros que vivem em diversas cidades do mundo (Europa, América do Norte e América Latina) prometem realizar manifestações nas próximas semanas. Em Paris, o ato está marcado para o próximo dia 22 de junho, na praça Saint Michel, às 17h, de acordo com a organização do evento.

    “Cada manhã que acordamos vemos o Facebook lotado de imagens de violência. Ao lermos os jornais, vimos que o movimento em São Paulo havia tomado dimensões que nos fez ter esperança. Achamos que não poderíamos silenciar, pois também queríamos estar protestando”, diz Fernanda Vilar, uma das articuladoras do evento. A estudante Virginia Costa, outra articuladora do evento, diz que não há nenhum grupo específico na organização. “O que nos move é o sentimento de revolta contra a violência policial e a justificativa da pauta quanto aos transportes urbanos”, diz Costa.

    Em Berlim, a manifestação ocorrerá no próximo domingo (16) entre duas estações de metrô na região central da cidade. De acordo com a organizadora do protesto, Juliana Rebelo Doraciotto, o ato é uma resposta à atual situação da democracia no Brasil, onde “mesmo protestos pacíficos são tidos como um crime”. Em Dublin (Irlanda), está sendo organizado um protesto também no próximo domingo (16), que deve ocorrer em frente ao monumento Spire, com início às 13h (hora local, 9h de Brasília).

    De acordo com Acauan Malta, um dos organizadores, o evento não é apenas contra o aumento da tarifa de ônibus, mas “pelo fim de tantos casos de corrupção no Brasil”. Segundo ele, o protesto será pacífico. Em Coimbra (Portugal), haverá um protesto de estudantes brasileiros na próxima terça-feira (18). Além desse locais, haverá manifestações em Valência, Madri, Londres, Lisboa, Turim, Den Haag, Porto, Barcelona, Munique, La Coruña, Bruxelas, Bologna, Frankfurt, Hamburgo, Boston, Chicago, Nova York, Toronto, Montreal, Vancouver, Edmond, Cidade do México e Argentina.
    (…)

    Voltei
    O Brasil passou 513 anos tentando encontrar algo que unisse seu povo acima das divergências. Encontrou. É a passagem de ônibus. Gostei mesmo foi da opinião de Juliana Rebelo Doraciotto: “Mesmo protestos pacíficos são tidos como um crime“.

    Pacíficos?

    Tarifa zero nos transportes! O Bras Cubas de Machado de Assis está com inveja. Foi descoberto o “emplastro anti-hipocondríaco” destinado “a aliviar a nossa pobre humanidade da melancolia”.
    Por Reinaldo Azevedo

    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/tarifa-zero-descoberto-o-emplastro-que-vai-livrar-o-brasil-da-melancolia/
    "O universo não pode ter surgido do nada porque o nada nunca existiu e o nada não pode criar nada"- Erivelton
  • Fernando_SilvaFernando_Silva Administrador, Moderador
    sybok disse: O metrô a mesma coisa, até hoje o preço de atravessar a cidade inteira ou ir de uma estação a outra, é o mesmo.
    No Japão, o preço varia com a distância.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.